sábado, 10 de junho de 2017

o diminutivo do seu nome

ontem observei que o diminutivo do seu nome
significa espreita, alvo, desejo
e é divertido como essas palavras dizem de você
porque, como a serpente do poema do igor
estankona, me espreita de maneira que não
se possa preparar a defesa, ou seja
até que eu esteja submissa

o fato de eu ir e voltar
não tem nada a ver com jogo
mas sim com um esforço de desfrutar
da fantasia sem enlouquecer
e só quem me conhece pode
saber como é grande coisa
não enlouquecer

escolhi você como alvo
por causa dessa sombra intangível
que vejo em seus olhos e a impossibilidade
me faz cada vez mais achar que estou certa
porque com você tudo parece dar errado
o que, em minha lógica interna é
uma bela maneira de acertar

que o diminutivo de seu nome também
signifique desejo não é nada estranho
pois você carrega essa voracidade
indisfarçável dos homens que não se
constrangem em desejar o sexo em
sua forma mais primitiva e ávida

os ponteiros da minha bússola
feminista se arrepiam porque
não me parece certo que
uma mulher esteja assim
tão entregue às lascívias masculinas
mas reconheço que seu desejo
desperta minha própria sofreguidão

escolhi não perder muito tempo
com seus silêncios porque
tenho meu próprio tempo perdido
para recuperar e a felicidade
não é uma coisa que se
construa da noite para o dia

não estou dizendo com isso
que renuncio a essa invenção de
você que criei, não é isso
respeito essa imagem como a um poema
e vou cultivá-la enquanto ela
for capaz de me acrescentar vida

na savana que vivemos sou a gazela
e também o tigre e sinto de longe o cheiro
do seu medo, menino índigo
entendo porque não queira lutar
fazer parte dessa geração tão
promissora que não chegou a
acontecer planta em nós fastio e tédio
com as ciladas do sucesso e da adaptação

quem disse que não se ganha nada com a paixão?
você já me deu quase uma dúzia de poemas

Nenhum comentário:

Postar um comentário